Os Leilões e o Circuito da Arte
Proporcionando um serviço especializado ao seu leque de clientes dentro do dinâmico mercado da arte, as instituições têm juntado forças para trazer a energia das tradicionais casas leiloeiras europeias para o universo digital do século XXI.
30 de setembro de 2016

Há alguns séculos, os leilões exercem função medular no circuito da arte. Proporcionando um serviço especializado ao seu leque de clientes dentro do dinâmico mercado da arte, as instituições têm juntado forças para trazer a energia das tradicionais casas leiloeiras europeias para o universo digital do século XXI. Com público cada vez mais eclético, a atividade se transforma gradativamente em uma verdadeira plataforma global de colecionadores constantemente conectados.


Ademais das galerias e feiras de arte, os leilões são atividades vitais para os investidores e colecionadores, sendo o principal instrumento do mercado pelo qual a demanda pode ser medida mais precisamente. Contudo, tais eventos vão muito além de dados estatísticos: os leilões crescem como uma experiência onde o público não apenas contempla obras de altíssima qualidade, como pode também disfrutar das grandes novidades em campos como tecnologia, moda, arquitetura e estilo de vida. Com o apoio dos patrocinadores e colaboradores, os presentes vislumbram paisagens visuais e sonoras de um ambiente exclusivo e em constante movimento.


Seja pela alta liquidez e rentabilidade do mercado da arte ou pelo interesse específico em lotes de obras, as casas de leilões garantem o atendimento completo a seus clientes e parceiros. Com sedes nas grandes metrópoles e representantes por todo mundo, as instituições internacionais assessoram o colecionador durante todo o processo de compra e venda e, ainda, contam com especialistas nos diversos campos da arte. Um dos setores que se apresenta como um importante departamento é a Arte Latino-americana, e é neste que o Brasil ganha protagonismo. Hoje obras de nomes como Lygia Clark, Cildo Meireles e Beatriz Milhazes circulam com destaque. Mesmo ainda jovem, é possível perceber a expansão do mercado da arte no Brasil, assim como um franco processo de internacionalização da produção nacional. Grande parte deste sucesso se dá pela magnitude e diversidade da produção moderna e contemporânea brasileira. De obras de Burle Marx à produção de Adriana Varejão, os leilões de arte têm comprovado o potencial do mercado brasileiro e sua importância no cenário mundial.